Food Connection faz parte da divisão Informa Markets da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

A importância do bom manejo florestal para a indústria de embalagens

A importância do bom manejo florestal para a indústria de embalagens.png
Adoção de práticas sustentáveis na produção de papel tem importância vital na questão da emissão de CO² à atmosfera.

Em ocasião do Dia Internacional das Florestas, celebrado em 21 de março de 2022, o secretário-geral da ONU (Organização das Nações Unidas), António Guterres, destacou a necessidade do manejo sustentável diante de um cenário em que são destruídos cerca de 10 milhões de hectares de florestas anualmente no planeta – o equivalente à toda área plantada no Brasil.

Em um discurso, Guterres destacou como as florestas "servem como filtro, fornecendo água e ar limpos e ajudando a regular o clima, influenciando os padrões de chuvas, refrescando áreas urbanas e absorvendo um terço das emissões de gases do efeito estufa".

Depois de séculos de prática de desmatamento sem grandes preocupações, ao longo das últimas décadas a humanidade se deu conta da necessidade de balancear o ritmo da extração de madeiras, e tem adotado algumas práticas em apoio à preservação do meio ambiente, o que tem impacto no setor de embalagens, muito usadas na indústria de alimentos.

A produção com fins comerciais da WestRock, por exemplo, que envolve árvores de pinheiro (Pinus taeda) e eucalipto (Eucalyptus dunnii), representa cerca de 53% das áreas da empresa, enquanto 47% são dedicadas à conservação de florestas nativas. Pode parecer um número muito alto à primeira vista, mas os benefícios são conferidos a longo prazo.

"Consumir esses produtos garante que as florestas plantadas continuarão existindo e exercendo o seu papel: fornecer ao mercado matéria-prima de fonte renovável, biodegradável e reciclável, além de remover da atmosfera toneladas de CO² e manter o carbono estocado até o final do seu ciclo de vida", diz Taís Toledo, coordenadora de sustentabilidade da WestRock no Brasil.

Entre os impactos positivos em relação à sustentabilidade florestal, constam a manutenção da cobertura vegetal, com a conservação de habitats animais, e o equilíbrio do regime hídrico, com melhoria da qualidade da água de aquíferos e lençóis freáticos, além da manutenção de nutrientes e permeabilidade do solo.

Produção florestal no Brasil

Segundo informações do Instituto Brasileiro de Árvores (IBÁ), a indústria de base florestal compõe um importante segmento da economia brasileira, somando US$ 11,3 bilhões de dólares em exportações em 2019 (4,3% do total brasileiro), com geração de cerca de 3,75 milhões de empregos (diretos e indiretos), além da geração de R$ 13 bilhões em tributos (0,9% da arrecadação nacional).

De acordo com os dados mais recentes da Produção da Extração Vegetal e da Silvicultura (PEVS) divulgados em 2020 pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o Brasil conta com 9,6 milhões de hectares em área de florestas plantadas. Dentro disso, 77,3% (7,4 milhões de hectares) de eucalipto e 19% (1,8 milhão) de pinheiros, com apenas 3,7% (354 mil) referentes a outras espécies.

Tal produção florestal está presente em 4.868 municípios espalhados pelo país, e teve o valor de R$ 23,6 bilhões, sendo 20,2% em extração vegetal e 79,8% em silvicultura – note-se que em 1996, por exemplo, a proporção era invertida, com cerca de 60% em extração e somente 40% em silvicultura na produção primária florestal.

Taís ressalta que, ao optar por produtos que respeitem a conversão florestal, as "indústrias atendem às expectativas de uma sociedade cada vez mais consciente sobre seu papel no mundo e seu dever no combate às mudanças no clima". "Nossas florestas nativas e plantadas contribuem para a recuperação de áreas degradadas essenciais para aumentar a resiliência dos sistemas naturais que mitigam os impactos das mudanças no clima", complementa, destacando também que "toda a cadeia produtiva da WestRock retira mais CO² do que emite".

Certificações

Um indicativo de boas práticas pode ser a presença de um selo na empresa produtora de embalagens, como o FSC (Forest Stewardship Council), que emite uma certificação às empresas florestais que forem avaliadas respeitando questões ambientais, econômicas e sociais, com acompanhamento anual para verificação, ou o PEFC (Programme for the Endorsement of Forest Certification), que verifica práticas sustentáveis na cadeia produtiva de empresas ligadas à extração de madeira.

Taís explica que, para obter a certificação, a empresa deve seguir alguns critérios, como comprovar o uso racional dos recursos florestais, obedecer às leis em todos os níveis federativos, zelar pela biodiversidade e o solo, publicizar dados referentes ao manejo, ter programas de responsabilidade social, monitorar os indicadores da condição florestal e ter o direito legal de posse claramente definido e comprovado por documentação.

Toledo ainda destaca outros selos como o SFI (Sustainable Forestry Initiative) e o IMG (Independently Managed Group), que verificam empresas com atuação em parte da América do Norte, por exemplo.

Redução do uso de papel na indústria

A especialista em sustentabilidade ressalta que, além do manejo florestal, a redução do uso de papel também pode ter efeitos benéficos na indústria. "Por exemplo, ao projetar uma caixa que consuma menos papel, conseguimos mensurar o impacto ambiental com a redução de consumo de água, energia elétrica, geração de resíduos e emissões de carbono nas operações", diz, destacando uma filosofia de "5 Rs": "Repensar, reduzir, reutilizar, reciclar e regenerar".

"Nos últimos anos, a sustentabilidade empresarial e os três pilares do termo ESG (Environmental, Social and Governance) deixaram de ser um tema paralelo para se tornar o ponto central e norteador no radar de vários stakeholders, que atualmente já esperam das empresas uma postura ativa em diversos temas críticos para os negócios e a sociedade. Entendemos que essa tendência veio para ficar", continua Taís.

Ela ainda destaca outras formas de suavizar os impactos ao longo de parte da produção: "a cogeração de energia, a partir da biomassa da floresta e o licor preto, resíduo da fabricação da celulose reinserido na cadeia produtiva, é responsável por gerar cerca de 85% da energia que necessitamos. A bioenergia é uma fonte renovável, segura e fundamental para a redução de emissões, principalmente quando comparado ao uso de combustíveis fósseis", conclui.

 

LEIA MAIS:

ESG: O que é, como se certificar e quais os benefícios à indústria

Redução do consumo de água na indústria de bebidas veio para ficar

Tecnologia de QR Code torna sustentabilidade acessível para consumidor

A Circularidade do Plástico

Ampliação do mercado livre de energia no Brasil deve impactar a indústria positivamente

Ocultar comentários
account-default-image

Comments

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <blockquote> <br> <p>

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Lines and paragraphs break automatically.
Publicar