Food Connection faz parte da divisão Informa Markets da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

Mercado de orgânicos em alta

mercado de organicos.jpg
O mercado de orgânicos está em crescimento. Saiba mais sobre as oportunidades e como a indústria de ingredientes pode ajudar nesse tipo de formulação.

Embora diversos setores tenham enfrentado uma crise no último ano, o mercado de orgânicos apresentou crescimento de 30% em 2020, o que representa um movimento de R$ 5,8 bilhões, conforme dados divulgados pela Organis, entidade setorial dos orgânicos no país. Para 2021, a organização prevê um crescimento de 10% no Brasil.

Esse é um movimento global. O consumo de alimentos orgânicos disparou no ano passado em todo o Reino Unido. Nos Estados Unidos, as vendas de produtos orgânicos ultrapassou a dos produtos convencionais em 2020, conforme relatório da Organic Produce Network. Na Índia, França e outras nações, o cenário se repete.

O que está por trás da alta no mercado de orgânicos?

A pandemia acelerou o crescimento do mercado de orgânicos, associado à busca por estilos de vida saudáveis, produtos sustentáveis ​​e ingredientes naturais.

"A COVID-19 está aumentando a consciência do consumidor sobre a relação entre nutrição e saúde. Isso resultou em um aumento no interesse em produtos que se beneficiam de um 'halo de saúde', incluindo alimentos funcionais e orgânicos", comenta Marcio Mitidieri, CEO da consultoria Agrogenius.

Entretanto, embora a ausência de pesticidas seja um fator chave para o crescimento, à medida que o mercado de orgânicos se amplia, os consumidores estão recorrendo a ele por inúmeras razões, que também estão associadas a outros grandes movimentos, como o de produtos plant-based, clean label e que primem pela transparência na cadeia de abastecimento, bem-estar humano e animal.

“Há uma importante correlação entre o crescimento de orgânicos e a demanda dos consumidores por maior transparência na rotulagem dos produtos e seu desejo de saber mais sobre os alimentos que estão consumindo”, reforça Mitidieri.

Outro ponto relacionado à ascensão do mercado de orgânicos é a melhoria e ampliação dos canais de distribuição. Cada vez é mais fácil encontrar os produtos desde em mercados de bairro até grandes redes varejistas. Muitas marcas também desenvolveram canais de venda pela internet neste período, ampliando a capilaridade de distribuição de seus produtos.

Em consonância, Eli Cavalcante, consultora em gestão estratégica e inovadora em negócios de alimentos, comenta que "os orgânicos não são mais um nicho, mas se tornam cada vez mais um esteio para os consumidores, e estão mais acessíveis hoje do que há cinco anos. A busca do consumidor por produtos clean label rastreáveis e produtos minimamente processados tem incentivado a demanda por ingredientes e produtos orgânicos".

O que é preciso para aproveitar as oportunidades do mercado de orgânicos?

"Primeiramente, é preciso conhecer a lei do setor, a Lei 10.831, de dezembro de 2003, que regulamenta essa produção no país. Ela traz diversos critérios a serem seguidos, técnicas específicas, tipos de recursos que podem ser usados, entre outras questões", afirma Mitidieri. 

Marcas que já produzem alimentos e querem aproveitar as oportunidades do mercado de orgânicos podem contar com o apoio de consultorias especializadas, que conhecem bem a legislação e poderão tornar o caminho da adaptação mais rápido e eficiente. 

Elas também poderão orientar sobre as certificações necessárias. Os produtos embalados, por exemplo, devem ter o selo Orgânico do Brasil. Será considerado "orgânico" o produto que apresente, ao menos, 95% de ingredientes orgânicos em sua composição. Há também a classificação de “produto feito com ingredientes orgânicos”, para aqueles que contam com de 70% a 95% de ingredientes orgânicos em sua formulação. 

Essas classificações são certificadas com o selo SisOrg, do Sistema Brasileiro de Avaliação de Conformidade Orgânica (SisOrg), órgão gerenciado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) em conjunto com o Inmetro para identificar e monitorar a produção de alimentos orgânicos no país, atestando sua origem e processo produtivo. 

Avanços em ingredientes orgânicos também impulsionam o crescimento desse mercado

À medida que o mercado de orgânicos transita de alimentos básicos com um único ingrediente, como leite, frutas e vegetais, para a produção de produtos processados, os fabricantes de ingredientes têm desenvolvido produtos que atendem aos padrões necessários para que os alimentos finalizados sejam rotulados como orgânicos.

Hoje, a indústria de ingredientes conta com modernos laboratórios, pesquisas de ponta e alinhamento às principais demandas e tendências, atuando como grande parceira das empresas de alimentos que buscam oportunidades no setor de orgânicos. 

Mas, para isso, é fundamental escolher fornecedores de qualidade, como lembra Daniela Veiga, engenheira de alimentos e mestranda no Instituto de Tecnologia de Alimentos (ITAL).

“Quando as empresas decidem apostar em produtos orgânicos, elas precisam ter certeza de que têm um canal de abastecimento seguro de ingredientes orgânicos para cumprir a promessa de sua marca. Esse parceiro deve ter um fornecimento garantido, certificações do setor e que demonstrem segurança alimentar. Também é importante oferecer suporte no desenvolvimento de um argumento para os produtos orgânicos (estudos bibliográficos, patentes, etc.)."

Oportunidades em ingredientes para o mercado de orgânicos

Além dos ganhos potenciais de se atuar em um mercado em evidência, apostar em ingredientes orgânicos pode trazer outros ganhos adicionais. 

A simplificação de rótulos, possibilitando a remoção de outros texturizantes que podem não ser mais necessários e usando alternativas como o amido de milho orgânico, por exemplo, cria um novo apelo ao produto.

Os ingredientes orgânicos também podem contribuir para o aprimoramento dos aspectos sensoriais dos produtos de panificação orgânicos, por exemplo, ampliando o público dessa categoria.

Já entre as oportunidades para se ficar de olho, Veiga destaca que o chocolate representa uma oportunidade emergente para o mercado de orgânicos, já que "cada vez mais, os consumidores estão examinando os rótulos de produtos indulgentes, incluindo confeitaria. Para esses consumidores, que veem os orgânicos como mais saudáveis, o chocolate orgânico lhes dá permissão para se deliciarem sem culpa. Assim, o cacau e o chocolate encontram-se no epicentro de muitas categorias de rótulos ou de consumo consciente, como lanches, barras esportivas e de desempenho, shakes de proteína e muito mais, graças à sua capacidade de fornecer um toque de indulgência para uma experiência sensorial deliciosa". 

A especialista também destaca que linhas de produtos para crianças, como papinhas e snacks voltados a esse público também oferecem oportunidades a serem consideradas, mas que deve-se ter um critério alto de qualidade e confiabilidade nos ingredientes utilizados para esse segmento.

Por fim, os ingredientes botânicos com cultivo orgânico também merecem destaque, agregando aos produtos outros apelos relacionados à saudabilidade, naturalidade e funcionalidade. 

"Eles também podem trazer notas de sabor surpreendentes, ser utilizados para substituir corantes sintéticos, criando um apelo visual atrativo e vibrante. Os botânicos orgânicos também podem ser uma alternativa como conservantes naturais, devido às suas propriedades antioxidantes, no caso do extrato de alecrim, por exemplo", finaliza Veiga.

Ocultar comentários
account-default-image

Comments

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <blockquote> <br> <p>

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Lines and paragraphs break automatically.
Publicar