Food Connection faz parte da divisão Informa Markets da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

Indústria de alimentos congelados: principais expectativas para 2023

Article-Indústria de alimentos congelados: principais expectativas para 2023

indústria de alimentos congelados.jpg
Entenda quais são as principais probabilidades para a indústria de alimentos congelados em 2023.

A indústria de alimentos congelados tem crescido bastante nos últimos tempos. A previsão global para 2029 é um crescimento a um Compound Annual Growth Rate (GAGR) em português, taxa de crescimento anual composta de 5,2%. Isto é, a previsão é que este setor específico alcance US$408,05 bilhões em 6 anos.

De fato, o congelamento é um método bem rápido, versátil e conveniente de conservação de alimentos. Isso porque ele é capaz de manter a própria cor, textura e até o sabor original de alimentos ​​de todos os grupos, incluindo frutas, grãos integrais, proteínas e até laticínios.

Sem dúvida, a crescente demanda por produtos alimentícios mais convenientes tem impulsionado bastante o mercado de congelados. Além disso, o mercado global de cadeia fria e a alteração das preferências e gostos pessoais do consumidor apresentou um crescimento considerável nos últimos anos.

Outro ponto interessante para este mercado é a digitalização no setor de varejo e economias emergentes que não para de crescer. Países do Oriente Médio, África, Ásia-Pacífico e América Latina têm oferecido oportunidades interessantes para que este setor se desenvolva cada vez mais.

Mas, mesmo com esse avanço, a indústria de comida congelada ainda enfrenta alguns desafios. A falta de infraestrutura da cadeia fria em economias ainda em desenvolvimento e os requisitos para o monitoramento correto da temperatura dos produtos congelados que são constantemente atualizados podem ser citados como algumas das dificuldades enfrentadas pelo setor.

Consumo de alimentos congelados na América Latina e no Brasil

Um estudo realizado pela Kantar Worldpanel revelou que na América Latina, 33% das pessoas consomem refeições congeladas no cotidiano. Já no Brasil, a porcentagem passa para 61%. Desse total, pelo menos 20% dos brasileiros consomem alimentos congelados frequentemente. Além disso, de acordo com a pesquisa, a classe B é a que mais consome, sendo 43% do total, seguida da classe C com 34%.

Como o mercado de alimentos congelados esteve nos últimos 2 anos?

A projeção de crescimento do mercado de alimentos congelados era de 4,3% entre 2019 e 2024. A Europa foi a maior porção geográfica em 2017 deste mercado, representando aproximadamente um terço do total estudado.

O impulsionamento da indústria de alimentos congelados se dá, especialmente, pela maior renda disponível e pela introdução de produtos com maior vida útil e saudáveis. Além do crescimento da compra por impulso e da demanda maior por produtos congelados para otimizar o tempo.

Veja também: As tendências de alimentação saudável para 2023

Sendo assim, o mercado evoluiu da venda de alimentos crus para os congelados e até mesmo para sobremesas e alimentos prontos das mais variadas categorias. Os bolos e sorvetes são a categoria dominante deste mercado. Os motivos que influenciam no crescimento desse mercado incluem sabores, incluindo doçura, teor de gordura e textura.

A indústria de alimentos congelados durante a pandemia da Covid-19

É fato que o surto de Covid-19 afetou os mais variados tipos de indústrias pelo mundo todo. Isso porque muitos países, estados e cidades decretaram estado de emergência e bloquearam transportes, fabricações e viagens por todo o perímetro que conseguiram, a fim de evitar a propagação do vírus.

Todo o comércio considerado não essencial foi paralisado, assim como instituições educacionais em todos os lugares. No entanto, para a indústria de alimentos congelados o impacto da pandemia foi bastante positivo.

Em 2020, o American Frozen Food Institute declarou que o setor teve um aumento de 21% nas vendas dos congelados em relação a 2019. Já a British Frozen Food Federation afirmou que as vendas dos alimentos congelados no setor varejista aumentaram de £872 milhões para mais de £7 bilhões por ano em 2020 no Reino Unido.

A mudança no estilo de vida nesse período fez com que a venda de produtos congelados aumentasse 75%, incluindo as padarias. As vendas on-line desse mercado também apresentaram um crescimento considerável durante a pandemia.

Influência da indústria de alimentos congelados no cotidiano das pessoas

O mercado dos alimentos congelados é dividido em carnes, aves, frutos do mar, refeições prontas, panificação, legumes, laticínios, frutas e vários outros produtos. 

De acordo com o tipo, o varejo de alimentos congelados é segmentado em: cru, semi-cozido e pronto para comer. Porém, baseado no canal de distribuição de congelados, ele é dividido em business-to-business (B2B) em português, empresa para empresa e business-to-consumer (B2C) empresa para consumidor, na tradução literal. 

E é especialmente a mudança no estilo de vida das pessoas que contribui para o aumento deste setor de maneira tão rápida e crescente.

Confira: O cenário das foodtechs para o pós-pandemia

O ambiente acelerado de trabalho e a preferência por refeições congeladas prontas pela sua conveniência contribuem bastante para este aumento. Além disso, a popularidade das refeições congeladas cresce entre a geração mais jovem e adolescentes devido ao fácil acesso.

O que esperar da indústria de alimentos congelados em 2023?

Certamente, 2023 será um ano trabalhoso para o varejo de alimentos e para a indústria de bens de consumo. Quase 3 anos após uma ressaca induzida pela pandemia de Covid-19, a indústria de alimentos ainda passa por grandes mudanças, progressos e reparos.

A inflação dos preços dos alimentos é a mais alta em décadas nos Estados Unidos, com mais de 10% devido, especialmente, à paralisação de várias áreas da economia em 2020. Por isso, os padrões de consumo do comércio foram radicalmente alterados e continuam seguindo estas alterações ainda.

Os inúmeros motivos dessa dificuldade incluem eventos climáticos extremos que influenciam nas colheitas, gripe aviária e até mesmo a invasão russa na Ucrânia. Além disso, as cadeias de suprimentos frágeis e just-in-time que foram construídas para uma previsibilidade favorável ao financeiro, simplesmente não foram capazes de lidar com a realidade atual.

Todavia, o Federal Reserve que elevou 7 vezes as taxas de juros em 2022, afirmou que haverá aumentos adicionais em 2023 também.

 

Faça o download gratuito do e-book Equipamentos inteligentes: tendências para cozinhas 4.0.

 

TAG: Mercado
Ocultar comentários
account-default-image

Comments

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <blockquote> <br> <p>

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Lines and paragraphs break automatically.
Publicar