Food Connection faz parte da divisão Informa Markets da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

Indústria 4.0 leva personalização para empresas já automatizadas

Indústria 4.0 leva personalização para empresas já automatizadas.png
Durante a Fispal Tecnologia, estudantes do Instituto Mauá apresentam braços robóticos fazendo café para mostrar a eficácia da Indústria 4.0.

Os tempos estão mais modernos e a indústria que produz em massa não consegue concorrer com a personalização oferecida pela Indústria 4.0. No Instituto Mauá, os recém formados sabem que ouvir as exigências do cliente e ser capaz de moldar possibilidades são fundamentais nos processos automatizados. Por isso, eles serviram um café com tecnologia para quem passou pela Fispal Tecnologia e TecnoCarne 2022.

Pelo Whatsapp, é possível fazer um pedido: café expresso, café com baunilha ou café com caramelo. O pedido enviado é direcionado para um Controlador Lógico Programável (CLP), que transforma o pedido em um código de programação, ordenando que um módulo produtivo inteligentes com braço robótico produza uma cápsula de café a partir de diferentes grãos torrados, realizando a moagem, o encapsulamento, a selagem e o controle de qualidade da produção, com base em dados de necessidade, consumo, estoque, entre outros. A capsula é entregue para outro braço, responsável pela produção numa máquina de café expresso.

No segundo módulo, também são adicionandas características customizadas executadas just-in-time, de forma inteligente: além dos sabores da bebida, o cliente pode personalizar o pedido com uma imagem impressa na superfície da bebida. A CAS (Célula Avançada de Serviço de Café), elaborada pelo Instituto Mauá em parceria com a GRV Softwares e a Mitsubishi Electric, consegue um nível de detalhamento nas impressões que torna possível imprimir o rosto de quem está consumindo a bebida na espuma do café. O copo com o café personalizado é colocado sobre a mesa para o consumidor, sem que haja interação humana.

cafezinho com tecnologia.jpg

“Assista enquanto eles trabalham”, brinca a engenheira do Instituto Mauá de Tecnologia, Loredana Cobianchi. Operando o processo por um computador, ela compreende que não basta ter uma tecnologia capaz de colocar comandos em prática, é preciso tornar essa lógica em algo atraente para o cliente. “O cliente não precisa baixar nada durante todo o processo, é pelo celular e pelo Whatsapp, podendo escolher entre três sabores de café e ainda encaminhando, pelo aplicativo, uma foto que será impressa na espuma da bebida. Tudo automatizado, desde a produção da cápsula, consumidor só faz o esforço de levar a bebida até a boca. É um conjunto de tecnologias de planta de fábrica que aqui podem ser vistas de forma mais simples e lúdica.”

O professor Antônio Cabral, responsável pela planta e pela orientação dos estudantes e engenheiros, defende que a Indústria 4.0 precisa ser vista como um modelo de negócio capaz de avaliar a maturidade das empresas e de habilitar possibilidades de aplicação de tecnologia. “É importante salientar que a tecnologia é habilitadora da indústria 4.0. Não existe mais produzir por produzir, precisamos produzir o que as pessoas querem consumir. Ter um olhar para a personalização que é urgente e inevitável. É muito difícil fazer lotes imensos que agradem todo mundo”, explica.

cafezinho com tecnologia_1.jpg

Para Rafaela Mar, estudante do Instituto Mauá, a participação na Fispal Tecnologia 2022 foi o primeiro contato com profissionais da indústria de automação. Ela sente que existe uma grande diferença entre os profissionais que vão entrar no mercado com a formação já voltada para promover a Indústria 4.0 e quem está há muito tempo no mercado e ainda não conhece o conceito. 

“É muito importante que as pessoas tenham as suas próprias experiências, é o que queremos: ver a nossa personalidade naquilo que consumimos. Hoje em dia, cada pessoa quer as coisas do seu jeito, queremos estar próximos da produção do que estamos consumindo e palpitar no processo”, avalia a estudante. 

Para os formandos, esse repertório precisa ser internalizado, não apenas como um aprendizado, mas como um estilo de produção continuada. “Como a cada ano o desenvolvimento de robôs e de softwares muda muito, nem sempre os engenheiros conseguem acompanhar a velocidade das atualizações e a Indústria 4.0 é uma das provas disso. Quem não consegue acompanhar esses processos e entender a importância deles, fica para trás”, explica a estudante Flavia Kagamida, que está no último ano da graduação em Automação.

 

FT_Credenciamento_4.png

 

Serviço

Fispal Tecnologia & TecnoCarne 

Data:  21 a 24 de junho de 2022 

Horários: Terça a quinta-feira: 13h às 20h. Sexta-feira: 13h às 18h 

Local: São Paulo Expo Exhibition & Convention Center 

Promoção e Organização: Informa Markets Brasil 

 

LEIA MAIS

Aplicação da robótica na indústria de alimentos

[E-BOOK] Os novos rumos da indústria 4.0 no setor de alimentos

A indústria 4.0 para PMEs do ramo alimentício

Indústria 4.0 alavanca a produtividade de sorvetes

Automatizar não significa deixar de valorizar colaboradores

 

Ocultar comentários
account-default-image

Comments

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <blockquote> <br> <p>

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Lines and paragraphs break automatically.
Publicar