Food Connection faz parte da divisão Informa Markets da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

Sustentabilidade e Inovação

Sustentabilidade e Inovação.png
A Inovação é realidade para o ESG corporativo, em resposta aos desafios de modernização e de atendimento à Sustentabilidade organizacional.

Em breve, o ESG deve evoluir a sigla para ESGI, acrescendo às suas perspectivas Ambiental (Environmental), Social (Social) e Governança (Corporate Governance), o I de Inovação (Innovation), visto a total integração desse tópico para suportar as necessidades de desenvolvimento, mudanças de paradigma e culturais, para atender a demanda da sustentabilidade corporativa (termo sinônimo ao ESG, segundo o Pacto Global).

Os desafios 2030 lançados incialmente pelas Nações Unidas em seus 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODs), trouxeram um alinhamento dos temais sensíveis que necessitam de foco e prioritária atenção, tanto dos governos quanto das corporações. Tópicos contemplados nos ODs como mudanças climáticas, pobreza, energia limpa, recursos hídricos, desigualdade de gênero, dentre outros, constituem consenso quase que absoluto entre os consumidores, que exigem o respeito aos seus propósitos ambientais e sociais; dos legisladores, estabelecendo regulamentações nesse sentido; e dos investidores, na busca de investimentos com menores riscos.

Nesse sentido temos o próprio item 9.4 (OD 9 – Indústria, Inovação e Infraestrutura), que salienta a necessidade de modernização da infraestrutura e a reabilitação das indústrias, com uso de recursos e tecnologias para aumento da eficiência e adoção de processos industriais social e ambientalmente limpos.

As soluções existentes contemplam até certo ponto o atendimento à agenda ESG, sendo que fica evidente a obrigatoriedade da Inovação para criar soluções que atendam aos pilares social e ambiental da sustentabilidade de forma genuína e rentável para as corporações, pois só assim teremos alternativas perenes para os stakeholders e, em particular, para a sociedade. E essa tendência é o que vivenciamos na prática com o lançamento de diversas iniciativas de corporações voltadas à inovação aberta e ao intraempreendedorismo, no intuito de encontrarem alternativas sustentáveis e viáveis a serem implantadas.

O artigo de março contemplou o exemplo de indústrias que unem esforços a partir de uma iniciativa da Firjan SENAI (Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro), que tem como objetivo a melhoria da cadeia de reciclagem do plástico no país. No mesmo sentido, a parceria de empresas com startups, instituições governamentais e Universidades, tem gerado projetos de sucesso como a adoção a redução de desperdícios, o desenvolvimento de embalagens com materiais que minimizam riscos ambientais e melhorias na gestão dos resíduos para a reciclagem ou simbiose (reaproveitamento em outra cadeia produtiva).

Em hackathon a ser realizado na primeira semana de maio pela Escola de Engenharia na Universidade Presbiteriana Mackenzie, que contará com empresas de serviços e indústrias, os desafios dos alunos envolverão inovações tecnológicas como o desenvolvimento de aplicações no metaverso para o ESG.

A integração da Inovação ao Ambiental, Social e Governança Corporativa não se trata mais de uma opção, pois é agora uma questão de competitividade no mercado de atuação, visto a necessidade de modernização e atendimento aos requisitos da sustentabilidade das organizações. Quem sai ganhando com o ESGI são as empresas, os consumidores, os investidores e toda a sociedade, que terão menores riscos, processos e produtos mais limpos, além dos benefícios para o planeta.

*Alaercio Nicoletti Junior é Gerente de Sustentabilidade do Grupo Petrópolis e professor da Escola de Engenharia da Universidade Presbiteriana Mackenzie

 

LEIA MAIS:

ESG: O que é, como se certificar e quais os benefícios à indústria

A agenda ESG na indústria brasileira

Redução do consumo de água na indústria de bebidas veio para ficar

A Circularidade do Plástico

Ampliação do mercado livre de energia no Brasil deve impactar a indústria positivamente

Ocultar comentários
account-default-image

Comments

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <blockquote> <br> <p>

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Lines and paragraphs break automatically.
Publicar