Food Connection faz parte da divisão Informa Markets da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

Prebióticos: o que são e para que servem?

Prebióticos - o que são e para que servem.jpg
Os prebióticos são compostos, principalmente as fibras vegetais, que ajudam as bactérias saudáveis a crescer no intestino. Saiba mais sobre eles e sua função!

O que são prebióticos?

Os prebióticos são compostos, principalmente as fibras vegetais, que ajudam as bactérias saudáveis ​​a crescer no intestino. Isso faz com que o sistema digestivo funcione melhor.

Essas fibras são utilizadas seletivamente por microrganismos hospedeiros, conferindo benefícios à saúde.

Normalmente, prebióticos são fibras solúveis que o corpo humano não consegue digerir e que servem como “alimento” para bactérias que vivem no cólon ou em outras partes do corpo.

Prebióticos e fibras são iguais?

Em termos simples, um prebiótico é alimento para a microbiota residente no organismo, sendo que o não podemos digerir prebióticos, mas certas bactérias benéficas podem.

Essas bactérias podem produzir uma variedade de substâncias benéficas (por exemplo, ácidos graxos de cadeia curta) da utilização de prebióticos para promoção de um intestino saudável – e mais além.

Pensando em termos técnicos, um prebiótico é uma substância que é utilizada seletivamente por microorganismos hospedeiros conferindo um benefício para a saúde.

Já as fibras são carboidratos não digeríveis, compreendendo pelo menos 3 unidades de açúcares individuais.

A maioria das fibras são componentes das plantas, e dependendo da regulamentação de cada local, se a fibra for isolada de plantas inteiras ou sintetizada a partir de açúcares, a demonstração dos benefícios fisiológicos é essencial para se colocar a designação de “fibra” em um rótulo de alimento.

Logo, todo prebiótico é uma fibra, porém nem toda fibra é um alimento para as bactérias benéficas do nosso intestino.

Prebióticos vs. probióticos

Tanto os prebióticos quanto os probióticos são bons para o intestino, mas ajudam de maneiras diferentes.

Os prebióticos são uma fonte de alimento para as bactérias saudáveis ​​do seu intestino. Eles são carboidratos que seu corpo não consegue digerir. Então, eles vão para o trato digestivo inferior, onde agem como substrato para ajudar o crescimento das bactérias saudáveis.

Já os probióticos são bactérias vivas que vivem no organismo humano e são boas para o sistema digestivo. Você pode tomar probióticos como suplementos ou obtê-los através dos alimentos.

Como se obtêm mais prebióticos?

O consumo de certos alimentos e suplementos pode aumentar a ingestão alimentar de prebióticos. Os vegetais ricos em prebióticos incluem cebola, alho, raiz de chicória e alcachofra.

Os prebióticos também são adicionados a alguns alimentos, como iogurtes, cereais, pães, biscoitos, sobremesas ou bebidas.

Dificilmente o termo probiótico é usada no rótulo; em vez disso aparecem  na lista de ingredientes descritos como galacto-oligossacarídeos (GOS), fruto-oligossacarídeos (FOS), oligofrutose (OF), fibra de chicória ou inulina.

De acordo com a International Scientific Association for Probiotics and Prebiotics (ISAPP), consumir pelo menos 5 gramas de prebióticos por dia é recomendado para melhorar a saúde intestinal.

Os prebióticos também são encontrados no leite materno. Os oligossacarídeos do leite humano (HMOs) são prebióticos que aumentam as populações microbianas benéficas no intestino do bebê, enquanto desencorajam os patógenos que podem causar infecções.

Utilização de prebióticos e saúde do indivíduo

A utilização de um prebiótico por microrganismos hospedeiros presentes no intestino humano é a chave para despertar os efeitos fisiológicos.

 Os ácidos graxos de cadeia curta (AGCC), por exemplo, são os principais produtos finais da fermentação dos prebióticos pelos microrganismos.

Os principais AGCC gerados no cólon como resultado de várias vias metabólicas bacterianas são acetato (dois carbonos, C2), propionato (C3)) e butirato (C4). Esses elementos são cruciais para a saúde intestinal e sua atividade pode subsequentemente influenciar locais distantes do intestino, tendo funções variadas.

Esses elementos  participam de certos aspectos da atividade metabólica, incluindo a função dos colonócitos (células que constituem grande parte do intestino), homeostase intestinal, metabolismo energético, ação no sistema imunológico, controle dos lipídios do sangue e fisiologia renal.

Quais os benefícios comprovados dos prebióticos?

Ajuda você a absorver cálcio

Altera a taxa na qual os alimentos causam picos de açúcar no sangue (o índice glicêmico )

Melhorar a fermentação bacteriana do cólon para reduzir o tempo de trânsito intestinal

Manter as células que revestem seu intestino saudáveis

Novos estudos estão investigando se os prebióticos podem ajudar  no tratamento de doenças intestinais, como a síndrome do intestino irritável e também de como eles poderiam desempenhar um papel no controle da obesidade

Os produtos com prebióticos estão em alta

Há uma demanda global por probióticos. Segundo a consultoria Grand View Research, de 2016 até 2024, o mercado pode se expandir em 8% anualmente.

O uso crescente de prebióticos na indústria de laticínios devido aos seus benefícios para a saúde deve aumentar a demanda durante o período de previsão.

Além disso, os crescentes avanços tecnológicos para os prebióticos no desenvolvimento de inulina e oligossacarídeos, que provavelmente substituirão o açúcar, que deverá impulsionar ainda mais a categoria

Nesse mesmo sentido, os prebióticos contam ainda com a demanda de suplementos juntamente com a crescente percepção do consumidor em relação aos benefícios da fibra para a saúde, confirmando o crescimento nos próximos anos.

*Por NutriConnection Consultoria em Alimentos Funcionais.

Ocultar comentários
account-default-image

Comments

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <blockquote> <br> <p>

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Lines and paragraphs break automatically.
Publicar