Transformação digital: cozinhando na nuvem

restaurante tecnologico.jpg

WagnerArnaut.JPGQuando me perguntam sobre a transformação digital, sobre a chegada da 4ª revolução tecnológica ou sobre o uso de inteligência artificial, nuvem, blockchain, cibersegurança ou automação, entre outros, o primeiro e maior desafio é conseguir explicar estes temas de forma simples e fácil para todos.

Uma boa analogia para tentar esclarecer como podemos ver ou testemunhar essa transformação digital de que tanto falamos é a cozinha.

Sem ser um especialista nas artes culinárias, todos sabemos que a cozinha é um lugar especial, fundamental para residências, restaurantes, bares e uma longa lista de espaços públicos e privados. É o motor dos eventos familiares. A partir da culinária nascem os caldos, entradas, saladas, pratos do dia e os mais sofisticados. Resumindo, na cozinha, seja qual for o seu tamanho, acontece a magia necessária para criar um prato único.

Esse também é o caso na nuvem. Essa rede de servidores virtuais que nos permite armazenar e gerir dados é responsável por realizar videochamadas em tempo real, transferências bancárias eôetrónicas, divulgar os nossos produtos numa vitrine virtual e até disponibilizar nossos apps  a um clique de nossos smartphones.

Na nuvem, os “ingredientes” são escolhidos e selecionados (apenas os recursos necessários) a partir de um universo de possibilidades para realizar a "receita" com a qual, por exemplo, será construído um sistema robusto de armazenamento de dados confiáveis ​​para transferências financeiras. Portanto, a “cozinha”, dependendo do número total de operações a serem realizadas, pode ser pequena, média ou grande.

Graças à nuvem e principalmente à nuvem híbrida (armazenamento em servidores públicos e outros privados), a "cozinha" pode ter mais ou menos fogões, ou mais ou menos ajudantes, para processar ingredientes e entregar pratos prontos e na hora, em tempo hábil, de acordo com o número exato consumidores. No caso de um banco, a nuvem híbrida seria responsável por responder rapidamente a uma alta demanda por transferências online simultâneas, evitando, por exemplo, o colapso de um site.

No entanto, a nuvem não age por conta própria. Você precisa da ajuda de outras tecnologias disruptivas, como Inteligência Artificial (IA) e Blockchain. Eles são os principais contribuintes para um bom resultado operacional.

Vamos voltar para a cozinha. Todos nós sabemos que a escolha dos ingredientes é fundamental para o sucesso de uma receita. No passado, para determinar o frescor de uma maçã, de um grão de café ou de qualquer outro produto, um cozinheiro tinha que usar sua experiência, observação, toque. Hoje, além disso, possui o Blockchain, tecnologia que registra informações e as criptografa em blocos seguros, permitindo saber a origem exata de um produto: onde foi plantado, a que temperatura foi produzido, quando foi colhido e até onde passou para chegar à mesa. Mas não é tudo, também nos permite saber a quantia exata desses ingredientes, onde estão e em que estado estão.

A Inteligência Artificial é outro colaborador fundamental em qualquer "cozinha". Através de seu processamento inteligente de dados, a IA permite otimizar resultados, fornecendo informações úteis para seus cozinheiros, por exemplo, sobre as quantidades de um ingrediente necessário, os tempos ou as intensidades de calor para o cozimento ideal.

Com um prato já encaminhado, até o cozinheiro mais experiente recorre aos segredos dos seus mestres, às opiniões dos seus aprendizes ou às “técnicas da avó” para executar a sua receita. A mesma coisa acontece, ou deveria acontecer, nesta nova era digital. Trabalhar com a “cozinha aberta”, com códigos abertos, em que todos podem contribuir na procura de um prato melhor ou, simplesmente, destinado a satisfazer novas exigências dos consumidores.

Resumindo, agora o chef pode fazer a melhor receita não apenas graças ao seu talento, mas também ao trabalho colaborativo e à padronização de procedimentos. Você também pode contar sempre com os melhores ingredientes, conhecendo suas origens, gerenciando seu estoque, decidindo quando investir ou determinar quando fazer um pedido de seus fornecedores. E o mais importante, agora você pode reagir ao aumento ou diminuição de convidados, para que sua cozinha esteja sempre pronta para aumentar a demanda (ou diminuir a demanda) usando os recursos certos.

Será então essa transformação digital que proporcionará maior eficiência, melhor qualidade aos seus clientes e possibilidade de acesso a novas oportunidades de negócio. Esse é o mesmo caminho que todos devemos seguir, em cada uma das nossas atividades e tal como o cozinheiro tradicional, reinventar-nos, acessar novas competências e ser um Master Chef Tecnológico.

Ocultar comentários
account-default-image

Comments

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <blockquote> <br> <p>

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Lines and paragraphs break automatically.
Publicar